30 de novembro de 2012

Para você, tudo que eu tenho. Os meus deuses e os meus demônios. As minhas certezas e as minhas dúvidas. A minha pele e as minhas cicatrizes. Para você, tudo que eu sou. As minhas unhas, roídas ou feitas, os meus beijos, tranquilos ou aflitos. Tudo. Para você, tudo que eu posso. Os meus textos, os meus dias, as minhas tentativas de poema, a minha paciência. Tudo que eu sei e tudo que eu ignoro. Tudo que eu acerto e tudo que eu erro. Os meus abraços bobos, os meus olhos tristes, o meu medo da solidão que na verdade é medo de ficar sem você. A minha barriga, as minhas pernas, o meu corpo. Os meus risos estranhos, os meus clichês, as minhas bobagens. Para você a minha intimidade, os meus segredos, as minhas vontades e verdades. Para você, tudo o que é meu.