19 de abril de 2008

As prateleiras



Naquele dia eu acordei decidida. Decidi que te mostraria a minha estante de sonhos mais profundos. Te levei ao quarto, onde, escondida por portas e mais portas, ela morava. Minha estante, onde as minhas duas prateleiras ficavam.
- Ali, na prateleira de baixo, moram alguns ds meus sonhos... -, te expliquei - Aqueles, ao alcance da minha mão! São o sonhos de que preciso todo dia.. Que preciso ver, sentir, tocar. Meus sonhos mais importantes... Aqueles sem os quais eu não vivo! Meus sonhos bonitos... Que não pretendo perder. São os sonhos nos quais nem dá tempo pra juntar poeira, pois são os sonhos que quero ter comigo o tempo todo.

- E na prateleira do alto?

- Lá moram meus sonhos impossíveis... Os que eu tenho medo de realizar. Aqueles sonhos que quero, que almejo, que necessito... Mas que, por medo da decepção, deixo que minha razão esconda lá em cima... Bem longe. Ficam lá, pra que eu olhe de vez e quando, pra que eu pense neles às vezes. Tem dias em que dá vontade de pegar uma escada e chegar lá. Mas, na maioria das vezes, prefiro observar daqui. É mais seguro...

- Mas... Por que está me mostrando isso?

- Porque eu queria que você soubesse que você é um sonho que coloquei na prateleira de baixo...

3 comentários:

Cleiton disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

woomm...muito bom ...inteligentemente romantico!!
.

Amanda :) disse...

Tbm concordo , um dos melhores textos !

Postar um comentário

Anote aí.