7 de julho de 2008

O Fio de Ariadne



Ela sabia. Não tinha pra onde correr, não tinha mais como fugir. Havia perdido aquela guerra no instante em que seus olhos se cruzaram.
No fundo, ela sempre se sentira acoada, presa, sem saída e se possibilidade de escape. Sempre havia sido solitária e reclusa. Por sorte durante todo o tempo havia tido um bom livro por companhia. O ultimo havia sido um enorme, sobre Mitologia.
Depois dele, havia chego a conclusão que alguém no Olimpo não gostava dela; ela sentia-se presa num enorme labirinto, e sentia que atrás dela vinha o mundo, e cobranças mil. o Mundo era o Minotauro, que a perseguia sem cessar... O Mundo-Minotauro devoraria a ela e aos seus sonhos, e não haveria chances. Ela o estava enganando, se escondendo dele havia um tempo. Quanto mais resistiria fugir? Quanto tempo mais o MInotauro seria enganado?
Mas faltava-lhe coragem para enfrentar o Monstro. Pra erguer os olhos e ver sem medo aquela criatura imponente e um tanto quanto cruel.
Mas naquele dia foi diferente. O labirinto pareceu desaparecer... Alguém surgiu. Alguém que preocupou-se com ela. E então, as cobranças pareceram menores. O Minotauro havia sumido.
- Ei... - ele disse, e ela não soube quanto tempo ele havia demorado antes de propor-lhe aquilo. Não conseguiu se lembrar dos caminhos por onde havia se perdido no imenso labirinto, e de repente o rugido monstruoso do Minotauro diminuiu. - Quer namorar comigo?
Ela sorriu, e respondeu o "sim" mais importante de sua vida. Soube que agora, com ele, conseguiria sair do labirinto, conseguiria até enfrentar o Minotauro. Aceitou, porque sabia: ELE era o fio que Ariadne havia lançado.

(Conheça melhor a lenda do Minotauro clicando aqui.)
_______________________________________

...E a Patrícia continua na sua jornada de "Vamos mimar a Aline até ela ficar metida"... Brigada, sócia!! E parece que a Ni deixou um rastro também, aderiu a campnha! Brigada, viu? Eis os mais novos selinhos:
Selos repassados para:
- A Nanita, que solta pensamentos por aí;
- A Lydia, mais umas coisinhas pra coleção dela;
- Meu colega Nobre, porque eu to com saudades de ler o que ele escreve;
- E a Dani, que voltou de férias agora a pouco!

Abraços!

7 comentários:

david santos disse...

1990, 18 anos: Cazuza. O expoente máximo do ROCK brasileiro.
Com saudade...

Daniele V. disse...

Novamente devo-lhe agradecer os selos, obrigada mesmo!

Ariadne, sua personagem, sentia um certo medo em suas ações. Que conseguiu afastar, fazendo com que o labirito desaparecesse de sua frente. Muito bonito o conto. Parabens!

Maria Fernanda disse...

Tua história ficou tão linda! E sei como esse "sim" nos torna mais forte... É perfeito.

Ana Baldner disse...

Me sentir dentro desse conto... solitária mas com chance de encontrar o amor... muito belo...

bjs

cleiton disse...

nao pense que eu nao visito seu blog, heheeh
fico só lendo e observando..
mais um lindo post, milhoes de beijos, te amo Line!

Nanita disse...

Que linda essa lenda :)
Muito obtigado pelos selo e parabéns por recebe-lo merecidisimo :*

Juliana Caribé disse...

Parabéns pelo selo, merecedora...

Beijoca.

Postar um comentário

Anote aí.