21 de julho de 2008

O 3º desejo



Um garoto caminhava em direção à padaria, naquela manhã gelada de julho. Caminhava apressado, meio de mau humor, porque na verdade preferia estar em sua casa, ainda embalado num sonho profundo. Foi quando ele a viu, meio jogada fora, meio esquecida. Era uma garrafa estranha, de formato irregular; Imediatamente, lembrou ao garoto as histórias sobre gênios presos, de Alladins e Sherazades. Tomou-a entre as mãos ao mesmo tempo que um vento frio chegou à sua face. Apertou o casaco fino junto ao corpo e pensou: "Se houver mesmo um gênio, vou pedir uma roupa mais quente!". Riu um pouco da propria infantilidade, tão recente e já tão esquecida. Lembrou-se que genios eram só coisa de Contos pra fazer crianças dormirem. Continuou caminhando, carregando a garrafa, quase sem perceber. Sua barriga roncou alto, exigindo o café da manhã que chegaria logo logo. "Um gênio, afinal, viria a calhar...", pensou ele, "Poderia me dar um banquete só estalando os dedos!". Ele olhou pra garrafa. A tampa parecia bem fechada. Talvez, se ele abrisse, houvesse mesmo umgenio preso... Ele deu-se um auto-reprimendfa, por estar sendo tão infantil. Sabia há muito que os Contos de fadas eram pra crianças, e que gênios não existiam. Atirou a garrafa na lata de lixo mais proxima e entrou na padaria.
Alguns minutos depois, enquanto carregava a sacola com pães e contava o troco, quase esquecido da garrafa, ele passou em frente a lixeira onde se havia desfeito dela. Por uma curiosidade quase despercebida, ergueu os olhos.
Uma garotinha bem mais nova que ele, de vestido de alças rasgado e chinelos maiores que seus pés sujos, revirava a lixeira, provavelmente à procura de alimento. O garoto permitiu-se observar a cena, e viu quando ele trouxe nas mãozinhas sujas e arranhadas a garrafa. Viu, também, quando um sorriso se esperança e de sonho iluminou o rostinho dela, e ela jogou os cabelos longos e sem corte pra trás das orelhas. Assistiu, calado e imóvel, quando ela abriu a garrafa. E viu, com um aperto no coração, quando nenhum gênio apareceu e a garotinha desfez o sorriso. Ela agarrou a própria barriga, num auto abraço. Provavelmente tinha fome.
- Ei! - ele a chamou. Ela aproximou-se, desconfiada.
O garoto tirou o casaco e o vestiu na menina. Em seguida, abriu a sacola e deu um dos pães para ela. Agradecida, ela sorriu e se afastou, talvez com medo de que aquele desconhecido se arrependesse da caridade feita.
Ele observou-a se afastar. Já não estava com tanto frio, nem com tanta fome. Sentiu-se aquecido e satisfeito pelo sorriso daquela criança. Soube, então, qual seria o seu 3º desejo,se houvesse mesmo um gênio. Desejaria que nenhuma criança, nenhuma pessoa e nem sequer nenhum animal vivesse assim, pelas ruas, dependendo da boa vontade de desconhecidos...

Qual seria o SEU 3º desejo?

___

(Pessoal, comecei a trabalhar hoje! Talvez eu demore um pouco pra responder comentarios e atualizar...Mas prometo que vou tentar fazer isso no minimo a cada dois dias! Beijo! )

17 comentários:

Mandy disse...

Liiiindo , Linnnndooo !

Maria Fernanda disse...

que delícia de conto!

Cámila disse...

COMEÇOU A TRABLAHAR?!
que lindooo

Flor sério eu me arrepiei quando terminei de ler!
MUITO LINDO MUITO LINDO
PARABÉNS!

alex pinheiro disse...

Muito bonito isso escrito aqui com a percepção dinâmica do abismo social,,, um abismo minimizado pelo quixotesco... Bonito mesmo...

Venho vagando na blogosfera e estou aqui,,, gostei,,,

Bjs e sociais invenções!

betinho1982 disse...

Caramba...
Esse blog tem o poder de me fazer parar e pensar na vida...
Adoro esse lugar!
Obrigado por ter estado naquela comunidade naquele dia em que eu tinha muito serviço a fazer.
Lindo esse conto!
Posso postar no meu blog, tb?

Patrícia disse...

Ola Sócia...
Poxa que bom que começou mesmo a trabalhar!!!
Que conto delicioso de ler! Adorei...
Quem dera encontrasse um genio da garrafa!! rs

Beijos

Menina Bonita. disse...

O meu terceiro desejo seria exatamente o mesmo que o do garoto.Sabe que se tem algo na vida que me deixa em lágrimas é ver pessoas e até mesmo animais abandonados.
Lindo o texto,como sempre.
Estava com saudade das suas notas noturnas tão agradaveis de ler :)

E boa sorte com o emprego x) rs


Beijos ;*

alex pinheiro disse...

pode sim, menina mulher,,, Só desvendando pra você, agradecido pelas palavras, o blog tem resposta pra todos os comentários na própria página de comentários...
Gosto disso, mesmo sabendo que ninguém volta pra ler,,, hahah

Bjs e adcionadas invenções!

F. S. Júnior disse...

gostei, embora se fosse meu o texto, iria sim sair um genio da lampada... beijo
saudades.

Cámila disse...

Ah verde sempre é lindo né!

Ve se não some por muito tempo flor!

BEIJAO1

Daniele V. disse...

Nossa, adorei o texto. Gosto muito desses textos de reflexao! Muita sorte e bom desempenho em teu novo trabalho. Bjao!

Aline disse...

s2

Paz... disse...

boa sorte no emprego!
=*

Thefy disse...

Linda história...
adorei seu blog...
bjokas

Daniele V. disse...

Tô passando por uma barra tão grande... É de amigas como vc que eu preciso... Vai lá no blog pra saber do q eu tô falando...

Ni ... disse...

Seria tão bom se todos tivessem esta preocupação com o próximo...
com certeza o mundo seria muito melhor...

beijo e mais beijos...

JOICE WORM disse...

Começou a trabalhar hoje? Foi um pedido à garrafa? (risos). Bom trabalho minha linda!

Postar um comentário

Anote aí.