6 de janeiro de 2009

Sobre peixes e asas

- Mas por que é que voce gosta tanto desse peixe?? - a amiga perguntou entre risos, como se nem esperasse resposta. Com um sorisso distraído, a garota respondeu:
- Não sei, eu simplesmente gosto.
Mas em seu íntimo, a garota sabia o porquê.
Ela o amava, pois ele era pequeno, frágil e aprisionado, assim como ela mesma. Mantido vivo, mas preso num aquário decorado. Preso, naquele mundo falso, podendo apenas observar, através do vidro, as maravilhas e problemas de um mundo real para o qual o pequeno peixe não podia fugir. Um mundo cheio de mares, de possibilidades das quais ele não fazia parte.
Quando ela observava o peixe, sentia-se levemente reconfortada. E em seguida sorria, e ria baixinho da falta de sentido da frase que se seguia:
- Prepare-se, mundo... Um dia esse peixinho aprende a voar...!
- De que é que voce está falando? - perguntou a amiga, confusa. A garotinha sorriu:
- Nada... Só estava pensando alto!

----
----

Nem sempre os sonhos fazem sentido.

Um comentário:

claudia disse...

Aline..

Me perdoa dizer isso, mas seus textos me deprimem...

"/

Postar um comentário

Anote aí.