15 de maio de 2009

O canalha

Henrique é um canalha. Desses do pior tipo, de mal caráter, digno de novelas.
Henrique mantém, ao mesmo tempo, 7 mulheres. Todas ricas e apaixonadas por ele. Cada uma acredita numa história diferente, e todas elas acreditam ter ótimos motivos pra dar-lhe dinheiro.
Diariamente, Henrique engana 7 mulheres, por interesse financeiro puro e simples. E não sente remorso algum. Se sentisse não seria canalha, afinal.
A esposa de Henrique faleceu há 5 anos, dando à luz ao filho do casal. Ela foi a única mulher que ele amou na vida.
O garoto, de 5 anos, descobriu-se aos 2, tem sérios problemas cardíacos. Henrique perdeu o emprego na matalúrgica, pois dedicou-se integralmente aos caros e intensos tratamentos do filho, enquanto espera um transplante que não chega.
Todos os dias, quando volta da casa de uma das sete, Henrique lê uma história nova para seu garoto, e joga com ele em todos os tabuleiros que puder.
Henrique virou canalha, disposto a tudo pelo dinheiro que precisa para pagar o hospital onde o filho está. E até agora tem dado certo.
Ainda mora na casinha pequena onde a esposa viveu com ele. Henrique fez questão de não mudar, e do dinheiro que consegue nada aplica em interesses pessoais.
Henrique virou canalha. E não se importa mais com nenhum coração.
Só com o de seu filho.

7 comentários:

Nina Vieira disse...

Cotidiano, minha cara. A vida anda cheia de Henriques...
Beijao.

Nasca™ disse...

ao menos o filho, sr Henrique.

Felipe Braga disse...

Por isso que sou seu fã!! Texto surpreendente, maravilhoso! Será que o Henrique gosta de se dividir entre 7 mulheres ou só faz isso por causa do filho?

Parabéns!

Ni ... disse...

Fico pensando...
Ate que ponto ele realmente pode ser chamado de canalha?

De qualquer forma, é bom saber que canalhas tbm amam...

Beijo

Erica Maria disse...

Menina que texto lindo!

Embora se importe apenas com o coração do filho, Henrique tb está com o coração doente...

Bjos em teu coração!

gabriela m. disse...

canalha por um nobre motivo.

são dois lados fortes. nem posso escolher um;

beijo, aline.
ótimo texto.

ℓiiα, ♥ disse...

Acho que nem o Henrique consegue saber se vale a pena ou não. Eu acho que no dia que eu for mãe, eu faria pior por um coração de um filho. FATO!

beijoos.
amei!

Postar um comentário

Anote aí.