14 de junho de 2009

Escuro

Meu desejo é que escureça.
No escuro o que permanece é o som, o toque.
Permanece o que é palpável, o que é real. No escuro não existe nenhum padrão. Não existe cor, ou roupa, ou qualquer outro artifício externo que possa levar até um julgamento precipitado. A vergonha tem medo do escuro, e se esconde. No escuro existe até quem consiga brilhar.
E quando escurece ainda sobra uma brechinha pro medo se instalar e deixar no ar uma incerteza que fará as pessoas buscarem apoio umas nas outras.
Deve ser esse o segredo e a solução. Escuro.
No escuro é que as pessoas vão se unir pra juntas conseguirem trazer a luz de volta.
E caso ela volte e os mesmo erros sejam repetidos, tudo bem.
É só apagar as luzes de novo.

--

Ando precisando escurescer.

2 comentários:

sobrefatalismos disse...

Todo mundo precisa escurecer um pouco, obscurecer.
É dali que vem o brilho, realmente.
Beijos.

Felipe Braga disse...

Nunca tinha pensado dessa forma, mas você me convenceu. Muita luz ofusca os olhos.

Postar um comentário

Anote aí.