9 de julho de 2009

09/07/2009

Apoiei-me na janela, à espera da chuva que talvez viesse, pois não queria chover sozinha. Ventava forte. Olhei em volta. Um garoto pequeno, mirrado, sujo como toda criança que de fato se diverte; sorria um sorriso de dentes ainda de leite, olhando atento para o céu. Ao seu lado, um cãozinho preto, língua rosada pra fora, que sentado, paciente, aguardava a atenção do menino. Este, apenas sorria, olhos sempre no alto, concentração no rosto pequeno. Olhei pra cima também.
Céu azul, Sol vermelho. Pipa roxa brincando de voar. E um garoto, no chão, admirado, fazendo da pipa rodopios e sonhos, com um cãozinho ao seu lado, tentando entender que magia havia na brincadeira do amigo.
Voltei pra dentro, desisti de chover. Sorri. Sempre haveria, na casa ao lado, um sorridente menino sujo, um paciente cãozinho preto e uma pipa roxa, linda, leve... Brincando de rodopios no ar.

6 comentários:

Maria Fernanda disse...

às vezes nem meninos felizes são capazes de espantar a chuva que deságua em mim.

Ni ... disse...

Este jeito de ser feliz com tão pouco me faz sempre sorrir..

Beijo e mais beijos, coisalinda

Felipe Braga disse...

Que lindo, Aline. Tua felicidade, teu gosto pelo simples é incrível. Assim como teu talento.
Parabéns, menina!

eve disse...

Aline, adorei essa pipa, rincipalmente por ser roxa. O roxo é uma cor sentimental pra mim. Esse seu texto me fex lembrar coisas tão boas...

Beijos

gabriela m. disse...

Que bonito.
Infância. Sonhos de criança.

:D

Eloisa disse...

Que bonito encontrar alguem que ve beleza em coisas simples, ganhei o dia!

Postar um comentário

Anote aí.