29 de julho de 2009

Marina

Marina é dessas moças educadas, sentimentais e sensatas.
Quando machucam Marina, ela finge que não ouviu a ofensa, faz-se de ingênua e torna-se mais dócil. É que Marina costuma acreditar que até quem a machuca merece uma chance. Aos poucos conquista a amizade do ofensor, e por vezes até acaba tendo a amizade conquistada também. E depois, quando quem a ofendeu lhe diz: "Ahh, eu te adoro, menina!", Marina sorri, plenamente vingada da ofensa. Esquecer? Ah não, ela não esquece. Ela se lembra de cada erro que cometeram contra ela, e sofre por boa parte deles.
Mas perdoa. E perdoa muito.

12 comentários:

sobrefatalismos disse...

Não sou uma Marina. Invejo-a aliás.

Ni ... disse...

Sou um pouco Marina... rs...
Acho que até mais do que gostaria... rs

Beijo e mais beijos...

Maria Fernanda disse...

Faço das palavras da Ni as minhas.

Também sou Marina, muito mais do que gostaria.

Felipe Braga disse...

Ah, a Marina é uma doce vigarista!
Assim como tu és uma doce escritora. rs
Beijos.

Marina disse...

Sinto-me completamente dona da personalidade, além do nome. Mas jamais escreveria essa pequena confissão. É preciso preservar pelo menos um pouco da alma em segredo!
Adorei!
Bjo!

Wevertton disse...

Belo texto....

Paz... disse...

É, Marina parece sensata... fria e calculista, rs!

Hosana Lemos disse...

mariana é bem difícil de se interpretar...
creio que ela está mais pra fria e calculista.

bjos

Rodolfo Alves disse...

Gostei da Marina! Invejo-a, inclusive.

=D

Cacau disse...

nem preciso dizer nada ne line?
em tempo:se vc nao tivesse um metro e meio te cubria de porrada :D

eve disse...

Parece ser uma ótima menina e com uma capacidade que eu nunca terei. Um dia aprendo a perdoas.

Antonio Gerent disse...

Perdão é uma demostração tão grande de amor que muitos não conseguem (arriscam) usá-la...

;D

Postar um comentário

Anote aí.