20 de agosto de 2009

Deixa

Não pense que pra mim foi fácil ir. Não pense que eu já não me machuco, nem sinto, nem temo. Em mim restou esse sorriso triste, em luto pelo futuro que eu matei quando resolvi partir. Restou também um nó muito apertado na garganta, me impedindo o sono, me doendo, bem aqui. Um nó, uma angústia, dessas que só passam quando a gente resolve chorar. E o problema, querido, é que eu não quero chorar mais. Me resta, então, conviver com isso, e me sobraram essas desculpas que eu recito, repito. E resisto às lágrimas, pra seguir como gente grande, que insisto em querer ser. E continuo querendo tuas desculpas, por não poder mais seguir contigo, como achou que eu seguiria, por não estar mais do teu lado do modo como voce precisa. Me resta continuar te oferecendo meu apoio. Resta, para mim, continuar querendo estar por perto, pra te cuidar, te estender a mão, te aplaudir as vitórias, como sempre fiz desde o primeiro momento. Me resta doer, junto contigo, e segurar tua mão, até passar. Me ajuda nisso? Me ajuda a te ajudar...? Ajuda a transformar essa tua dor em algo bonito, igual eu fiz. Deixa isso tudo virar lembrança boa. Deixa o tempo ajudar a curar. Deixa essa tua semente bela germinar um pouco... Deixa as coisas acontecerem devagar, e do jeito que tiverem de acontecer... Deixa? Assiste comigo as coisas mudarem. Observa comigo as flores brotarem, vê os frutos surgindo. Deixa de lado esse tua tristeza, deixa? Sorri pra mim, pra eu poder sorrir também, pra eu conseguir seguir com as minhas próprias pernas... Deixa eu viver, e vive também. A vida é tão linda, sabe? É a gente que se esquece, e fica tentando forçá-la a ser do modo como a gente quer. Eu estou aprendendo, também, tanto quanto você. Estou deixando a vida me acontecer, do modo que ela for. Devia tentar, querido. Tenta dar essa chance pra vida seguir. E segue também.

6 comentários:

M. disse...

E quando quem lhe causa dor é também que lhe faz querer viver? O que fazer senão segurar-lhe a mão e aguentar o que vier, a dor, o amor, o chorar e o sorrir... Quem vai entender dessas coisas?! ;)

Lindo texto Line :D

Cleiton disse...

"E quando quem lhe causa dor é também que lhe faz querer viver? O que fazer senão segurar-lhe a mão e aguentar o que vier, a dor, o amor, o chorar e o sorrir... Quem vai entender dessas coisas?! ;)"

E quando seu unico motivo se vai?
Mesmo assim o jeito é deixar né, se conformar...
Mesmo que tudo.....

Maria Fernanda disse...

Agora comento apenas o lay novinho em folha. Lindo, Line. Lindão.

Volto pra te ler, mais tarde.

Beijão ;*

disse...

Difícil deixar curar uma dor. Difícil deixar-se ajudar...

Menina Bonita. disse...

Me lembra Clarice

"Aquilo tinha dois lados?Sofrer pelo mesmo motivo que a tornara terrivelmente feliz?"


Mais uma vez me encontro,em seus versos.

Beijos moça;*

Ítala disse...

Assim como as dores invadem nossas vidas de repente, elas vão embora tbm, só deixando rastros de nós, que um dia veremos que esse rastro, é de um passado distante..

bonito texto..
confesso que eu a-do-ro o jeito que vc escreve...
é lindo a maneira que vc usa as palavras...
parabens..

BjOs

Postar um comentário

Anote aí.