17 de dezembro de 2009

Ao Bom e Velho

To: noelzito.hohoho@polonorte.com
Subject: Outro Dezembro, hein, Velhinho?

Olá!
Desculpe esse e-mail tão de ultima hora...!
É que... Sabe, Bom velho? Eu não me lembro de ter acreditado em voce nunca.
Sempre fui uma criança um tanto quanto cética com a magia do mundo.
No começo o Natal me lembrava uma época alegre, de familia e amigos, de abraços e presença. Com priminhos correndo pela casa, uma ceia deliciosa, risos e alegria. Houveram anos em que eu esperei o natal desde Janeiro, Bom velho!
Mas as crianças crescem e as coisas mudam. Aos poucos eu percebi que nem todas as pessoas tinham um Natal tão feliz quanto o meu.
E soube dos que moravam nas ruas... Soube dos que nao tinham nem familia nem ceia.
Soube que quase nenhum dos meus colegas de escola sabia o que o Natal comemorava de fato.
Descobri também que nem todo abraço no Natal era sincero... Que nem todo mundo que partilhava a ceia se importaria com a familia no ano seguinte.
Me vi em meio à uma sociedade tão consumista, Bom velho! Tão futil e materialista...Nenhuma pessoa parecia se importar com o Deus-menino que o Natal celebrava!
Ah, Bom velho... Isso me entristeceu um bocado. Com o tempo meus natais deixaram de te esperar. Não havia todo ano uma àrvore enfeitada à sua espera. Não havia sequera sua espera.
Mas aí, Sr Velhinho, eu comecei a prestar atençao. No Natal as pessoas sorriem bastante. Todos desejam paz e felicidade, e gastam seus salários pra presentear aqueles com quem eles se importam. Demonstram carinho e abraçam pessoas que sequer verão ao longo do próximo ano.
É o que as pessoas chamam de "Magia Natalina", certo?
Então, Bom velho. Considere esse e-mail como válido por todos os anos da minha infância em que nao te mandei nenhuma cartinha.
Embala um pouco dessa "Magia de Natal", pra eu distribuir o ano inteiro?
Desde já eu agradeço.
Um abraço. Feliz Natal, Papai Noel!

Aline.

P.S: Bom velho... Dá de presente pra esse mundo um pouquinho mais de fé?


(Escrito no ultimo Natal, republicado)

3 comentários:

Felipe Braga disse...

Aline, Aline...
Quanta ternura!
Acho que nunca fiz um pedido assim, tão altruísta, pra ninguém.
Muito lindo o teu texto. Como sempre é.
Valeu a pena republicá-lo.
O mundo precisa, mesmo, de mais fé e coragem.
Beijos.

André disse...

Lindo demais, Aline! O mundo precisa, mesmo, de mais fé e coragem.[2]

=***

Cacau disse...

uhssauhas eu lembro q foi um dos primeiros textos seus q eu divulguei.:D

Postar um comentário

Anote aí.