26 de fevereiro de 2010

Da ignorância

As coisas que eu não sei têm se acumulado.
Já não sei mais esconder o que sinto. Já não consigo disfarçar o choro. Nem o riso. Ainda não sei, também, pedir ajuda. Não sei cuidar só de mim, e não sei me deixar ser cuidada.
Eu não sei desacreditar as coisas. Nem desconfiar das pessoas. Não sei brigar, e não consigo ofender ninguém. Não sei ser grossa. Não sei ficar brava muito tempo.
Não sei qual a graça da vida leviana. Não sei não me dedicar ao que quero. Não sei gostar do ócio.
Não sei me expressar direito. Não sei direito o que quero. Não sei confiar em mim.
Não consigo não ter medo.
Francamente?
Nao sei se me faz falta não saber ser diferente de quem eu sou.

3 comentários:

Eloisa disse...

Imagine se você soubesse tudo isso que graça teria? Deixaria de procurar respostas e então a vida ficaria sem sentido.

:)

André disse...

Voce, definitivamente, nao sabe ser diferente do seu encanto...!!

(te amo voce)

=****

Laura disse...

...

Postar um comentário

Anote aí.