16 de fevereiro de 2010

Luz;

"Quando a luz dos olhos meus 
e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar, 
ai, que bom que isso é, meu Deus!, 
que frio que me dá o encontro desse olhar... 
Mas se a luz dos olhos teus 
resiste aos olhos meus só pra me provocar... 
Meu amor, juro por Deus, 
me sinto incendiar...!"

(Quando Vinicius escreveu esses versos não pensava em nós dois, - pobre dele, amado, que não teve a sorte de te conhecer, nem a chance de ver esse nosso amor bonito florir - mas descreve a cena que vivo sempre que te vejo; esse encontro dos nossos olhos me livra de tudo que me dói. E me inunda, de luz e de amor.)
"... Meu amor juro por Deus 
que a luz dos olhos meus 
já não pode esperar. 
Quero a luz dos olhos meus 
na luz dos olhos teus 
sem mais la ra ra ra..."

(Não podem mais esperar, meu bem, minha amostra-grátis de sonho, meus olhos querem os teus...! Eu necessito essa sua luz pra minha brilhar também - tenho uma luz tímida, que brilha melhor quando tem companhia. Te contaram, meu anjo? Você é luz que se vestiu de gente.)
"...Pela luz dos olhos teus 
eu acho, meu amor, 
que só se pode achar 
que a luz dos olhos meus 
precisa se casar..."



(...La ra ra ra... )

Um comentário:

ℓiiα, ♥ disse...

ah, que lindo *-*
seu blog é tudo!

bjs

Postar um comentário

Anote aí.