23 de abril de 2010

ter;

Eu tenho uns olhos castanho-carentes, como os de um gato que mia no colo do dono, atrás de calor e carícia. Tenho um sorriso bem maior que os lábios, e quando sorrio, costuma ser com o rosto todo, com o corpo todo, com boca, com peito, com alma e com coração. Tenho um ar de menina, de moleca, um ar de qualquer coisa que é frágil, que precisa de proteção. Mas tenho também jeitos e modos de mulher, responsabilidades e condições, doçuras, confusões, dramas,com mil e uma razões diferentes pra cair no choro, todo final de mês. Tenho alguns anos e algumas histórias, uns bons amigos e umas decepções pra levar comigo. Tenho algumas cicatrizes, poucas mágoas, e uma história de amor linda, linda, que eu ainda estou escrevendo. Eu tenho um coração que é verde e é amarelo, grande como esse país incrível, e que, por ser brasileiro, não desiste nunca, nunca. Tenho um otimismo irritante, e um pessimismo terrivelmente sensato. Tenho chorado muito por bem mais de um motivo. Tenho sorrido pra ele, e me notado apaixonada a cada novo detalhe que eu acho. Tenho uma auto-estima muito baixa, uma carência absurda, uma insegurança enorme, e uma necessidade constante de sorrir pra fingir que estou bem. Tenho manias bobas,um gosto por coisas simples, um modo de pensar que nem condiz com a minha geração.
Tenho tentado me aceitar, mesmo imperfeita.

Vou parar de olhar pro que falta. 

3 comentários:

Erica Maria disse...

Saudades de vir aqui e ler-te!!!

Tá lindo!

Bjos no seu coração!

Maria Fernanda Probst disse...

Assim, você é tão você.


Reabri o PS. As palavras ainda não vieram fortes, mas te convido para uma prosa fácil e uma xícara de café quente.

Beijo doce e um sábado lindo pra ti :*0

Sonia Pallone disse...

É tão bom quando o nosso coração abraça o momento de alguém! E o meu acolheu o seu...Bjs querida.

Postar um comentário

Anote aí.