10 de abril de 2010

Três minutos

E eis que no meio do meu devaneio, feito de lembranças e de planos, ele surge. Eu sorrio e digo 'oi'. Tem pouquíssimo tempo hoje, ele me diz. E eu quase fico triste. Só quase. Porque, em seguida, vem isso:

- Eu só vim pra dizer que te amo. E porque te prometi que não ia sumir.

E o sorriso volta. Porque ele não quebrou a promessa.
Três minutos. Só três, hoje.
Que me valeram o dia inteiro.


-

"...Prometo sempre ser o seu abrigo,
na dor o sofrimento é dividido.
Lhe juro ser fiel ao nosso encontro,
Na alegria, a felicidade vem em dobro..."
(Isabella Taviani - Diga sim pra mim)

2 comentários:

Vanessa disse...

Ele cumpriu :)

Sonia Pallone disse...

Que gostoso te ler, Aline! Sua escrita flui e se encaixa direitinho no coração da gente!...Beijos.

Postar um comentário

Anote aí.