7 de junho de 2010

"Pra você eu digo sim"

Eu o chamo assim, sem motivo, só pelo prazer do nome dele nos lábios. O som sai feito sorriso, e ele responde “Diz, meu anjo”, como quem faz uma carícia. “Diz pra mim, meu anjo”, ele repete, e eu me perco, porque ele usa um tom com um ‘que’ tão intenso que eu mal sei contar, mas que não resisto.  E a frase dele continua comigo, dá voltas, me cativa, me ganha... É que ele vestiu a voz de conquista, banhou de afeto o timbre, e me encara assim, com esse meio sorriso (eu suspiro), esperando que eu, “anjo”, diga.  Mas eu não digo ainda, porque a voz dele é tão linda que virou arrepio, correu por mim e agora cada pedaço meu parou pra ouvir e se encantou. Virei suspiro, de corpo inteiro. O abraço onde eu estou se fecha um pouco mais, e ele me sorri, ainda mais de perto, só esperando que eu diga, atento, solícito, entregue, pronto pra me ouvir. “Diz...?”, ele pede uma última vez, quase um sussurro, o tom tão irresistível e exato que eu não me atrevo a desobedecer. E então me vejo, dele, e anjo, e digo o que o meu ser inteiro pulsa e diz comigo: “É que eu amo você...!”

(Apaixonada, apaixonada e apaixonada.)

-
“...Longe ou a sós
No mundo e além
Pode crer que tudo bem
O amor só precisa de nós dois
Mais ninguém...
...Pra você eu digo sim.”
(Rita Lee – Pra você eu digo sim)

5 comentários:

Vanessa disse...

Eu digo! Eu digo! Eu digo!


x)

Camila Scarpa disse...

tão bom sentir esse 'arrepio' mimimi *-*
seus textos me encantam, sempre!

Maria Fernanda Probst disse...

Hei de ter coragem, de dizer.
Tuas notas de amores, tão tudo. Teus recados segredados, tão lindo.

Adoro você.

Ju Fuzetto disse...

Impossível negar o amor!!

beijo

Mari Bonás disse...

Oi!
Lindo o seu blog!
Visite o meu e palpite por favor!

beijinhos :)

Postar um comentário

Anote aí.