1 de março de 2012

eu quero me descobrir inteira. cada dobra, cada curva, cada gesto. quero declarar, feito um poema, cada rima de mim. eu quero me ver por completo, em cada dor, em cada amor, em cada uma das minhas cicatrizes. inteira. eu quero ser sincera por fora e por dentro. comigo e com o mundo. eu não me engano mais, porque agora me conheço e me gosto. porque agora eu me pertenço. e me permito. e me perdoo. eu quero ouvir cada palavra guardada, cada melodia secreta, cada um dos sussurros que trago escondidos cá dentro. eu já não me escondo em mim. e já não me escondo de mim. ofereço a outra face pro mundo e que venha o que tiver de vir. eu comecei a olhar pra dentro e aqui encontrei primavera. constelações. laços de fita. em mim tem muita ternura e muita força e eu já não me importo tanto com o que vão pensar.
já me preocupo o bastante com o que eu vou pensar de mim.

Um comentário:

Amanda Rodrigues disse...

Lindo, como sempre.

Postar um comentário

Anote aí.